coronavirus-5739918_1920_edited.jpg

Projetos de Pesquisa

Os fluxos migratórios internacionais constituem mudanças sociopolíticas e econômicas com repercussões globais e locais, constantemente acionadas e aprofundadas sob o domínio do processo da globalização. Estudos recentes evidenciam o incremento de iniquidades como consequência das desigualdades e modos de vida e de trabalho precários; a ascensão de doenças infecciosas, como a tuberculose; a transposição, pelas fronteiras, de doenças endêmicas, como a doença de Chagas; a saúde mental, quase sempre negligenciada nestes processos, ou, mesmo, as barreiras no acesso aos cuidados de saúde. As investigações têm evidenciado que os migrantes mobilizam os serviços de saúde com suas concepções e práticas sobre o processo saúde-doença-cuidados, tornando cada vez mais complexo o campo de inter-relações que emerge a partir do encontro de concepções e práticas vivenciadas no contexto de destino migratório. A produção de estudos sobre os processos migratórios transnacionais em suas interfaces com a saúde tem se destacado pelo crescimento e, também, pelo desenvolvimento de análises que requerem cada vez mais conhecimentos articulados de forma interdisciplinar.